Estado Itinerante é uma ficção desenvolvida a partir de um interesse na investigação e transposição para o cinema de temas que envolvam a vida e o cotidiano de mulheres que habitam grandes cidades.

O projeto foi aprovado na Lei Municipal de Incentivo a Cultura 2013 e teve todo o seu processo de produção entre Agosto de 2015 a Maio de 2016. Mas as tentativas em editais vinham desde 2010. Durante todo este tempo, o processo é um aliado de resistência.

Muitas mulheres que vivem e trabalham no fluxo dos grandes centros urbanos sofrem constantemente com a violência moral e física no trabalho, no bairro e até mesmo em seu lar. O projeto se desenvolveu a partir da criação da personagem Viviana, que trabalha como Agente de Bordo (cobradora), profissão que há poucos anos aditou muitas mulheres, e que tem como características observadas uma exposição diária a violência urbana, aos múltiplos espaços da cidade e a inércia do corpo.

Senti a necessidade de tratar este contexto/tema com ênfase na subjetividade das ações que expressam sentimentos, como a solidão, a opressão, e a utópica busca pela liberdade. Era então preciso tirar o conforto dos elementos causais de intimidade nas cenas: a casa, o privado. Trabalhar a todo o momento com os condicionantes externos, distanciamento necessário nesta história para representar como as situações de agressões no lar e em espaços públicos são, na maioria das vezes, desimportantes nas nossas relações e em nosso cotidiano.

“O princípio do cinema é sugerir” Jacques Feyder

com LIRA RIBAS / MARIA APARECIDA / DANIELA SOUZA/ DIANE RODRIGUES performer CRISTAL LOPES roteiro e direção ANA CAROLINA SOARES produção executiva ANA CAROLINA SOARES / DENISE FLORES produção DENISE FLORES direção de fotografia DIOGO LISBOA direção de arte PEDRO PLOC captação e pós-produção de som GLAYDSON MENDES finalização e montagem CARLOS HENRIQUE ROSCOE still e making off CERES CANEDO designer – web e gráficos KARLA MOREIRA assessoria de comunicação RENATA MARTINS.